Curso de Extensão Universitária em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Um olhar sobre quem faz

Atualizado: 17 de Set de 2020


#ParaTodosVerem  A imagem mostra  um terminal de distribuição industrial cheio de tubulações.  Na parte central da foto, encontra-se  um homem branco posicionado na lateral de um caminhão de grande porte,  segurando uma mangueira na cor azul  que leva combustível  para o  tanque do veículo. O homem usa um capacete verde, camisa clara acinzentada, onde vemos um crachá pendurado, calças da cor cinza, luvas de seguranca pretas e óculos  de segurança de lentes escuras. No chão, abaixo da conexão entre o tanque e a mangueira vislumbramos um  balde metálico. Na parte lateral do caminhão  está situada uma placa vermelha  na forma de um losando onde está escrito em letra preta as palavras material inflamável e  sobre elas desenhada  em cor preta a  representação estilizada de chamas.   Há  outra placa quadrada na cor laranja no lado esquerdo da placa vermelha  parcialmente coberta pela cabeça do homem onde podemos ver o número 30.
Terminal de Distribuição Industrial - Abastecimento de veículo

O Instituto Trabalho Digno, em parceria com o Fórum Sindical de Saúde do Trabalhador (FSST) e o CEDOP/UFRGS, com o apoio de centrais, confederações, federações, sindicatos de trabalhadores e entidades parceiras iniciam hoje curso de Extensão Universitária em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora - Um olhar sobre quem faz a história. Este se coloca no processo de formação sindical, capacitando os participantes para a intervenção em Saúde do Trabalhador em suas respectivas áreas de atuação, bem como possibilitando a apreensão do conhecimento acerca dos objetivos e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), além de fundamentos do Direito do Trabalho e normas regulamentadoras de SST. Terá duração de 30 horas / aula, distribuídas em 2 horas semanais.


Mais do que o simples uso de uma plataforma digital para as videoaulas, serão momentos de construção de uma frente para o trabalho digno, menos adoecedor, menos indutor da acidentalidade, mas muito mais humano.